quarta-feira, 13 de maio de 2009

Olá primos e tios!

Em primeiro lugar para inaugurar este meu primeiro post gostaria de dar os Parabéns ao Paulo pela iniciativa e criação do blog por todas as razões já aqui apresentadas. Ao mesmo tempo peço desculpas por me ter esquecido dele durante tempo bastante do Paulo me relembrar e convidar novamente.

Apesar de pouco conhecer os primos é sempre interessante passar pelo blog e ler as participações tão distintas de cada um. Ler as experiências da família que tal como a Teresa, não as vivi, ler os apontamentos breves noticiando os nascimentos de mais ramos do Carvalho.
E por falar em ramos (ou rebentos, como queiram) que bonitas são as nossas primas! A Teresa, ou melhor, Teresinha como é conhecida na família, está tão diferente desde a última vez que a vi que certamente passaria por uma comum transeunte num passeio de rua.

Ora bem, vocês primos se me vissem talvez não me conhecessem também. Será então altura de me apresentar: Sou a Sandra, filha mais nova dos primos Natalina e Mário e neta dos Tios Natividade e José Raúl. Estive presente nalguns encontros dos primos Carvalho, dos quais não comungo o nome, contudo penso não ter comparecido nos últimos dois. É sempre uma festa bem curiosa: num dia por ano revêm-se irmãos, primos, tios, maridos e esposas dos tios e primos dos primos (as namoradas deles e os filhos que vão chegando à numerosa família). Fala-se de tudo, do tempo, do curso que já terminou, do local de trabalho que já agora é onde? O que fazemos? Mudamos de emprego? O tio foi operado? Já melhorou? Ainda bem! - Pena que tempos depois se diluem os laços - algo mais que natural numa família numerosa espalhada pelo mundo e tal como as outras, sujeita aos ditames da sociedade actual.

Cada um de nós vive sobre si e sobre o seu mundo, desligado de todos, com os seus afazeres, com a sua rotina e os seus hábitos, à excepção do dia do Almoço dos Primos em que somos família outra vez. Por vezes dou por mim a pensar quando no meu emprego falo com algum Sr. ou Srª Carvalho. (Será meu familiar? Talvez...Será marido/mulher de algum primo?) . A árvore está tão ramificada que lhe perdemos o rasto.

Uma vez mais Parabéns Paulo pela tua ideia, de à distância, tentares apanhar algumas folhas soltas dos ramos dos troncos da árvore do Carvalho.

Beijinhos a todos!

3 comentários:

Paulo disse...

Obrigado pela contribuição e bem-vinda. Espero ver mais textos!

Sebastiano Landro disse...

felicitaciones por el post! un saludo!

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá,
Vim deixar-te uma palavra pra meditar, se gostar pode visitar o http://hanukkalado.blogspot.com/
lá terá saciada tua sede de entendimento das palavras de Jesus.
Assim, inteligência espiritual seria a habilidade ou a capacidade de crer em uma mente criadora e universal e se interagir com ela. O conhecimento desta resulta no aumento da fé. Ou seja, quanto mais conhecemos os princípios divinos, mais experimentamos e interagimos com o Criador. Jesus nos ensinou e abriu esta “porta” do entendimento, nos despertando para grandes mudanças interiores que produzem sabedoria, paz, equilíbrio e um ambiente propício para o aperfeiçoamento e descoberta de novos valores e propósitos de vida.
Abraço de paz.